Col d’Aspin

CURITIBA (day 4) Nosso quarto dia era para ser um dia de descanso. No começo da semana a previsão do tempo indicava tempo ruim, porém, não foi o que aconteceu. Muito pelo contrario, céu azul e temperatura agradável. Resolvemos então fazer a montanha mais fácil do roteiro no dia de “descanso”, o Col d’Aspin. Fazendo minhas pesquisas sobre as montanhas da região eu li em alguma parte que o Aspin, não é o maior, nem o mais duro, e nem a subida mais longa, porem, é mandatório. O Col d’Aspin é uma montanha categoria 1 já foi utilizada no TDF mais de 70 vezes.

Inicio da subida

Saindo de Sainte-Marie-de-Campan, o mesmo ponto de encontro para o Col du Tourmalet, a subida do Aspin tem 12.8km de extensão com um ganho de elevação de 650m. O cume está a1490m acima do nível do mar. Como saímos de Bagnères-de-Bigorre, fizemos cerca de 25km com 920m de altimetria. A subida é tranquila, quando comparada as montanhas dos dias anteriores. Me lembrou bastante a subida do Col du Telegragh nos Alpes, principalmente pelas curvas fechadas e a floresta de pinus.

Subida do Col d’Aspin. Faixas recém pintadas no asfalto para o TDF 2018.

Nesse dia o cume da montanha tinha vários ciclistas, mas estava dominado pelas vacas. Os mais desatentos levavam uma lambida das vaquinhas procurando por um salzinho.

Vacas do Aspin

Depois de algum tempo no alto da montanha, alguns ciclistas começaram a descer para o outro lado (sentido Arreau). De onde estávamos dava para ver a bela e sinuosa estrada. Até cogitamos em descer até Arreau e voltar mas a razão falou mais alto e voltamos pra casa. Afinal era dia de descanso.

Vista para o outro lado do Aspin

Antes de chegar em casa, paramos numa bike shop para dar uma olhada nas novidades. Bicicletas elétricas por todas as partes. MTB e speed com baterias e motores em diferentes formatos. Parece ser tendência.

Depois de algum tempo perambulando pela loja o vendedor veio puxar papo. Depois de contar um pouco o que tínhamos feito e o que pretendíamos fazer ele me disse que deveríamos fazer a estrada paralela ao Col d’Aspin, conhecida como Hourquette d’Ancizan.  Essa é a nossa estrada predileta disse o jovem Francês.

No dia seguinte seguimos a dica do Francês e de quebra fizemos o outro lado do Col d’Aspin.

  • Resumo: 49km e 921m de altimetria
  • Relive

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s