Dr. Paulo

CURITIBA (+1) Ontem aconteceu a defesa de doutorado do meu aluno Paulo Ricardo Lisboa de Almeira. Paulo fez seu mestrado no DINF/UFPR sob a minha orientação e agora finalizou seu doutorado. A tese “ADAPTING THE DYNAMIC SELECTION OF CLASSIFIERS APPROACH FOR CONCEPT DRIFT SCENARIOS” foi avaliada e aprovada pela banca examinadora, a qual foi composta pelose seguintes especialistas em seleção dinâmica de classificadores

  • Prof. Dr. George Cavalcanti (UFPE)
  • Dr. Paulo Cavalin (IBM Research)
  • Dr. Rafael M. O. Cruz (ETS/Canada)
  • Prof. Dr. Robert Sabourin (ETS/Canada)
  • Prof. Dr. Daniel Weingaertner (DINF, UFPR)
  • Prof. Dr. Luiz Eduardo S. Oliveira (DINF, UFPR)

Advertisements

Dr. Diego

CURITIBA (+1) Reconhecimento de manuscritos é um daqueles problemas de pesquisa que me fascinam. Volta e meia tenho um aluno trabalhando com alguma coisa relacionada. Um desses projetos, sobre a identificação de escritores, começou há seis anos atrás com um trabalho de mestrado ainda na PUCPR e teve hoje mais um importante milestone alcançado com a defesa de doutorado do Diego Bertolini. Dr. Diego, que foi meu aluno de mestrado também, defendeu hoje com sucesso sua tese de doutorado intitulada “Verificação e Identificação de Escritores usando Características Texturais e Dissimilaridade”.

DiegoUm bom resumo do trabalho do Diego está nesse artigo publicado na Expert Systems with Applications de 2013. Em breve a versão final da tese estará disponível na minha página.

 

Dr. Jefferson

CURITIBA (+1) Quando você faz um projeto em colaboração com outro(a) pesquisador(a), existe uma grande chance de não funcionar. As prioridades podem ser diferentes e aí a coisa desanda. Não foi o caso da parceria com o pessoal da Engenharia Florestal da UFPR. Eles conseguiram montar uma bela base de imagens microscópicas de espécies florestais que publicamos na Machine Vision and Applications. E foi esse o ponta-pé inicial para o trabalho de doutorado do Jefferson, o mais novo doutor formando no departamento de informática da UFPR.

Fazendo malabarismo para defender suas ideias para a banca

 

Jefferson conseguiu resultados bem interessantes na classificação automática dessas imagens usando conceitos de dissimilaridade e seleção dinâmica de classificadores. Parabéns Jefferson!

Master Paulo

Mestre dos MagosCURITIBA (almost there) Certa vez recebi um email de um aluno dizendo que o título de mestre é bem melhor do que o de doutor e por isso ele dizia que não ia fazer doutorado. Ele dizia que os mestres tem súditos enquanto que os doutores tem pacientes. Dizia ainda que as figuras mais legais são os mestres, por exemplo, Mestre Yoda, Mestre dos Magos, etc.. Esses caras são mestres, não doutores! Bem, esse aluno não acabou o mestrado e está longe de ser um Yoda.

Mas no dia de hoje ganhamos mais um mestre em informática. Meu aluno, Paulo Almeida, defendeu sua dissertação de mestrado com sucesso. O tema do trabalho foi a detecção de vagas de estacionamento em ambientes externos usando descritores de textura. Quando eu tiver a versão final da dissertação coloco o link aqui. Por enquanto tem esse artigo publicado na IEEE SMC em outubro de 2013.

 

Dr.Yandre

CURITIBA (+1) Algum tempo atrás, em 2009 pra ser mais preciso, comecei a trabalhar juntamente com alguns colegas da PUCPR e do INESC-Porto (Portugal) com um assunto um pouco diferente do que vinha trabalhando nos últimos anos,  a classificação automática de gêneros musicais.

Um dos responsáveis por explorar essa nova linha de pesquisa foi meu aluno de doutorado, Yandre M. G. Costa. E depois de 4 anos de muito trabalho, hoje Yandre cumpriu a última etapa do processo, defendendo com sucesso sua tese de doutorado. Assim que eu receber a versão corrigida coloco na minha página. Mas boa parte do trabalho está publicado nesse artigo da Signal Processing, um periódico bem conceituado na área da Computação (Qualis A1 para os aficionados).

Yandre

E foram muitas perguntas….

Parabéns Yandre!

Sarajevo

CURITIBA (triste) Meu aluno de doutorado, Yandre, está em Sarajevo (Bosnia Herzegovina) participando de uma conferência. Desta vez não pude ir 😦

Escrevi pra ele perguntando se estava tudo bem e me parece que ele ficou impressionado com as marcas da guerra na antiga Ioguslávia. Essas foram as fotos que ele me enviou. Algumas marcas são fáceis de remover da parede…

… já outras são muito difíceis de serem esquecidas.

Espero que as próximas fotos mostrem as coisas belas da cidade…