Gerenciando o Histórico

CURITIBA (conectado) Desde que comecei a correr já usei um monte de programas para registrar meus percursos, rodagem, etc… Comecei com o nike+ pois eu usava o sensor da nike que conectava no iPod. O site é muito bom e te dá um monte de informações além de gráficos bonitos, cores agradáveis, etc. Recentemente virou NikeRunning (em versão beta) oferecendo mais algumas funcionalidades. Mas só funciona com o sensor da Nike no iPod, o qual não é aquela maravilha e para tenis de outras marcas exige uma “gambi”.

Desisti do sensor quando comprei meu Forerunner 205. Fiquei orfão do site da Nike e comecei a procurar alternativas. Queria que fosse uma solução web pela praticidade de acessar os dados em qualquer lugar e ficar independente de plataforma. Na epoca encontrei o MotionBased. Comparado a interface e funcionalidades do Nike+, o MotionBased perdia feio, além de ser lento. Tinha uma opção paga que oferecia algumas funcionalidades que não tinha na opção gratuita. Mais um motivo pra eu não usar.

Desisti do MotionBased e fiquei refém do programa que acompanha o Forerunner, o Garmin Training Center. Interface ruim, tem um monte de bugs nas opções de lingua, as vezes não reconhece o GPS, etc.. Ou seja, uma merda.

Felizmente lendo alguns forums, encontrei o SportTracks o melhor programa do gênero que usei até agora. Interface simples e funcional que conversa sem problemas com o Garmin, relatórios configuráveis, controle de quilometragem de diferentes equipamentos (tenis, bike), etc. O problema é que não é web e só funciona direito no Windows.

Recentemente conversando com o Lyra, outro GPS fanboy, ele me disse que o Garmin Connect estava legal. Na realidade o Garmin Connect é uma evolução do MontionBased, do qual eu já havia desistido. Mas devo confessar que agora os caras tem algo bastante razoável. Ainda faltam algumas funcionalidades presentes no SportTracks, mas é web. Como esse negócio de redes sociais está na moda, parece que a coisa está caminhando para esse sentido. Compartilhar tracks, pesquisar tracks de outras pessoas, etc..

Em resumo, ainda não vou largar o SportTracks, mas devo começar a usar o Garmin Connect com mais frequência para tracks mais relevantes, mesmo porque meu novo brinquedinho está pra chegar 🙂

Advertisements

GPS Embeded

MUNICH (never lost) Desta vez fiquei meio decepcionado com a Avis. Achei que na  Alemanha os caras fosse me dar um carro Alemão. Que nada, me deram um carro Coreano, um Kia! Tá, o carro é bacaninha, mas não é um Audi e sim um Kia 😦

Uma coisa bacana, entretanto, foi o jeito que os caras colocaram o GPS no carro. Eles adaptaram um Garmin nuvi 205 (igualzinho ao meu) ao lado do espelho retrovisor. Ficou bastante prático. Mas ficaria melhor num carro alemão!

DSC05489-1

Le Voyageur

MONTREAL (chovendo e ventando) Durante os anos que morei aqui tive a sorte de conhecer um monte de gente de diversos lugares do mundo. Graças ao Facebook ainda tenho contato com a maioria deles pois estão todos espalhados por esse mundo afora, ou em seus países de origem ou onde arrumaram trabalho.

Entre a maioria esmagadora de estrangeiros do laboratório tinham alguns Quebecois, não muitos. Pra quem não conhece, laboratórios de universidades nos Estados Unidos, Canada e Europa em geral são povoados por estrangeiros.

Enfim, um dos nativos que estava lá quando cheguei aqui em 2000 era Jean Philippe. JP é uma pessoa sensacional da qual tenho um imenso orgulho de ser amigo. Sendo assim, sempre que venho pra cá fazemos alguma coisa juntos, sempre com um bom vinho.

photo (2)

JP é um viajante inveterado. Em geral ele trabalha durante algum tempo, junta seu dinheiro e parte para algum lugar do mundo.  E não são viagens de 1 mês e sim de 4 a 6 meses.

Agora ele está de viagem marcada para o continente Africano onde vai passar 6 meses viajando com uma motocicleta. Alguns anos atrás ele fez algo parecido na Índia. Se tiver interessado em acompanhar essa aventura, que começa em Outubro, coloque o blog dele no seu RSS.

Ontem passamos uma boa parte da noite discutindo sobre GPSs e os sites disponíveis para colocar os “tracks” percorridos. Como não poderia deixar de ser, sempre na companhia de um bom vinho, desta vez um Minervois très bon (GGG1/2)

photo (1)

Pequeno mas Valente

CURITIBA (navegando) Hoje fui testar o sistema de navegação do meu Forerunner 305. Criei um percurso no GPSies com pouco menos de 30 km passando por uma região que eu não conhecia direito.

trilha

Fiz upload do percurso e saí pra pedalar. Para minha surpresa ele se saiu extremamente bem. Toda vez que eu saí da rota fui avisado. Além disso, assim que você entra na rota planejada, ele ativa o parceiro virtual, o qual “pedala” na velocidade que você indicar no GPSies. Isso é interessante se você quiser manter o ritmo.

Outra coisa interessante que eu descobri hoje, é que ele mostra a altimetria do percurso. Se você quiser dá pra saber o que lhe espera logo a frente.

305

A desvantagem é que o GPS fica no pulso e dependendo da trilha não é muito seguro ficar tirando a mão do guidão.

Tracks no Garmin 305

CURITIBA (agora sim) Depois de muito tentar achei uma maneira de inserir percuros/trilhas (Tracks) no meu GPS. Tudo nasceu da necessidade de colocar alguns percuros que eu gostaria de fazer de bike. Inicialmente estava tentando fazer isso no meu Garmin nuvi 205, mas logo vi que não ia dar certo. O nuvi é pra usar no carro e não aceita tracks. Uma pena pois ele tem um visor colorido com bom contraste e a bateria dura mais de 5 horas.

Me restou tentar no meu Forerunner 305 que tem um visor pequeno e nonocromático. Além disso, o 305 pode armazenar no máximo 100 pontos na memória. A solução que eu encontrei foi exportar o percurso como “Garmin Course TCX”. Dessa maneira consegui colocar tracks bastante longas (> 100km).

Para exportar um percurso para o GPS, usei gpsies. O registo é simples e gratuito. Esse site permite que você crie o seu percurso ou importe percursos em GPX, por exemplo. De posse do percurso, basta clicar em “Export to Garmin GPS” e voilà, o percurso aparece no menu “courses” do 305. Basta então seguir o percurso selecionando o menu “Do Courses”. Apesar do pequeno visor, o 305 deve avisar se você sair do percurso. Amanhã vou ver se funciona…

Caminho do Itupava

CURITIBA (que caminhada) Ontem finalmente fomos fazer o caminho do Itupava. Segundo historiadores,o caminho do Itupava foi dutrante muitos anos a principal ligação entre o litoral e o alto planalto do Paraná. Uma trilha muito muito bonita que cruza rios, montanhas escarpadas e a densa floresta da mata atlântica.

Bem, voltando a nossa caminhada, saímos as 7h do terminal do Guadalupe e chegamos por volta das 8:30h no posto do IAP no começo do caminho. Devidamente registrados começamos nossa caminhada. A neblina ainda era intensa mas a temperatura era agradável.

DSC03531

A trilha segue bem tranquila até o KM 10. Escorregadia em alguns pontos devido as pedras e a umidade característica do local, mas a caminhada é muito agradável.

DSC03542

A partir do Km 10, um pouco antes da Nsa. do Cadeado, a descida exige um pouco mais das pernas e do pé. Como mostra o gráfico do GPS, do Km 10 ao 13 vamos de 780 a 250 metros de altitude.

altitude

Depois desta descida forte a caminhada volta a ficar bem tranquila até o final da trilha. Ao todo foram 15Km e 8 horas de uma boa caminhada com várias paradas para fotos, comida, etc…

itupava-track

Track disponível aqui

No fim da trilha encontramos até a cabana do Jacob (pra quem assiste Lost). Pra variar ele não estava.

DSC03573

Forerunner

CURITIBA (equipado) Hoje foi a estréia do meu novo brinquedinho, o reloginho com GPS da Garmin. Até então controlava minhas corridas com meu kit Nike+iPod, o qual tinha algumas limitações. Tá bom, não vou cuspir no prato, ou melhor, no sensor que usei até agora mesmo porque ele me quebrou um galhão. Mas recentemente eu estava meio irado com ele pois a partir do momento que você começa a correr mais rápido do que o normal (calibração inicial) o erro dele aumenta consideravelmente.

Foi por isso que decidi aposentar o sensorzinho. O relógio tem inumeras funcionalidades, com as quais ainda estou me acostumando. Além disso, você pode acompanhar sua evolução no software que vem junto com o relógio, o Training Center. Além de ter o histórico com todas as informações da corrida, você ainda tem o seu percurso detalhado no mapa. Ah, informações de altitude e velocidade em cada ponto do percurso também estão disponíveis. Pra resumir, um tesão.

garmin

Estou usando os mapas da TrackSource Brasil, um projeto pra lá de legal, o qual agrega os esforços de uma comunidade para manter os mapas do Brasil inteiro para os aparelhos da Garmin.