Brinquedinho Wanted

CURITIBA (alert mode=on) Sabadão fizemos um pedalzinho light até o morro da cruz em Colombo. Encontramos uma rota que maximiza os trechos em estradinhas de terra na ida e na volta. Um percurso interessante, com 40km e 800m de altimetria, para quem está na região norte da cidade. Track aqui

Mas esse post não é sobre o pedal e sim sobre o brinquedinho que estava pendurado na bike do camarada Zé, uma GoPro. Que brinquedinho bacana. Olha só o videozinho da descida do morro da cruz.

Por coincidência hoje eu usei a GoPro do André para fazer as fotos dele na maratona. Como a interface dela é bem espartana não tenho a mínima noção de como ficaram as fotos. Estou bem curioso para ver a qualidade. Mas estou convencido que preciso de uma dessas.

 

 

Veja o track aqui

Advertisements

Três Morros

CURITIBA (sol mas frio) Consegui organizar minha agenda pra dar uma pedalada na sexta pela manhã, já que esse mês a coisa está complicada nos fins de semana. A ideia era fazer algo curto mas com boa altimetria. O roteiro ficou então definido com três morros, Morro da Cruz em Colombo e doisMirantes de Almirante Tamandaré.

Saímos, eu, Mildo e Fabricio por volta das 8:30h do São Lourenço sob uma forte neblina e com temperatura na casa dos 8C.

Foto: Mildo, ou melhor, Guarda Municipal

Fizemos um caminho mais longo para chegar no Morro da Cruz. A ideia era andar mais nas estradinhas de terra, que estavam bem encharcadas com os dois dias de chuva dessa semana. Logo estávamos no pé do nosso primeiro objetivo, o Morro da Cruz. A subida do Morro é forte mas curta e totalmente pedalável.

Subida Morro da Cruz

A hora que chegamos lá em cima a neblina já tinha de dissipado e pudemos curtir um o visual e a já tradicional lata de pêssego do Mildo.

Mildo deu a sugestão de descer pelo lado sujo do morro. Em função das chuvas e da mata fechada, o caminho estava extremamente liso. Como esse caminho parece ser bastante usado por motos de trilha, a estrada tem valas profundas dos dois lados. Foi bastante complicado de se equilibrar no meio da estrada. Depois de alguns tropeços e muita risada chegamos em Colombo novamente.

Foto: Mildo (olha minha bike onde está e onde eu consegui parar depois de voar por cima dela)

Ali Fabricio nos deixou e seguimos em dois para o Mirante de Almirante. Desta vez subimos por um caminho diferente no Mirante. Na última vez que estive lá fomos parar no morro ao lado pois a estrada estava fechada por várias árvores no meio do caminho. Desta vez a estrada estava aberta e chegamos ao nosso segundo morro, o Mirante de Almirante, pelo caminho tradicional (se não é o tradicional é o mais curto).

Foto: Mildo

Pausa pra comer qualquer coisa e apreciar a bela paisagem, e descemos pelo lado que não tem trilha, ou seja, tivemos que abrir uma até chegar na estrada. Nosso destino era o terceiro morro que fica bem pertinho da cidade de Almirante Tamandaré. Mas antes fizemos um desvio e passamos por belas estradinhas, algumas delas propriedade de um clube.

Estrada dentro do clube

Essa estradinha acaba num trilho de trem. Ali não tem muita alternativa a não ser andar nos trilhos, literalmente.

Foto: Mildo

Esse trilho cruza a rodovia dos Minérios. Paramos alí pra comer alguma coisa num posto de gasolina meio decadente e voltamos até Almirante para o terceiro e último morro. Esse é o menorzinho de todos, mas com uma bela vista, pelo menos em algumas direções.

Vista do último morro

Rumamos pra casa num bom ritmo, mas antes de finalizar o pedal paramos no melhor caldo de cana de Curitiba. Pra quem quiser conferir, fica fim (ou começo) da rodovia dos minérios antes do primeiro semáforo. O caldo de cana com limão e hortelã vale a pena.

Pedal concluído com 65km e 1250m de altimetria. Track disponível aqui.  Mais fotos disponíveis aqui.

Fotos do Mildo e Fabricio.