Fim do Download de Música

CURITIBA (that’s it folks) Esses dias eu li um artigo sobre algumas coisas que tendem a desaparecer com o avanço da tecnologia. Entre essas coisas o artigo citava o download de música. Impensável até esses dias, que diga a Apple com seu modelo de comercialização via iTunes Store.

Eu sou um grande consumidor de música de todos os tipos (ou quase todos, tem coisa que não desce) e sendo assim download de música sempre foi algo que fez parte do meu dia-a-dia, desde a época do finado Napster. Grande Napster. Antes do Napster eu era cliente ávido da Savarin uma loja tradicional em Curitiba que tinha um grande acervo de LPs e depois CDs. Eu sempre deixava um dinheiro lá comprando CDs importados (USA not China) que eram difíceis de encontrar em outras lojas. Eles tinha encartes bacanas com letras e fotos. Acho que a Savarin se foi. Grande Savarin.

Made in USA

Made in USA

No fim da década de 90 ripei todos meus CDs. Mais tarde coloquei tudo num iPod junto com aqueles que baixei no Napster, torrent, iTunes, etc. Agora meu velho iPod de 60GB comprado em 2006 está encostado ao lado de uma grande pilha de CDs. Culpa dos serviços de streaming.

Já faz algum tempo que venho testando alguns desses serviços. Os últimos foram Grooveshark, Rdio, e Deezer. Em 2013 conheci o Pandora pois conseguimos um patrocínio deles para  o ISMIR que organizamos em Curitiba. Por motivos contratuais a Pandora, apesar de patrocinar o evento no Brasil, ainda não opera por aqui.

O mesmo acontecia com o Spotify. Mas desde o ano passado a empresa Sueca opera em terras tupiniquins. Comecei a testar o serviço no modo gratuito que insere algumas propagandas de tempos em tempos e tem algumas limitações como ouvir as músicas sempre em modo aleatório. No mês passado assinei o serviço pago por R$ 4.99 ao mês por três meses pra testar todas as funcionalidades do serviço.

Agora estou viciado e vou ter que pagar o serviço daqui pra frente, cerca de R$ 15/mês. Um recurso que me cativou foi o fato de poder baixar playlists no meu iPhone para escutar em modo off-line. Na minha última viagem baixei diversas playlists com o título “Road Trip” e garanti um montão de músicas para a estrada. Esqueceu de fazer isso antes de sair de casa? Não tem problema, dá pra fazer no primeiro hotel com wifi. Uma mão na roda.

Agora falta a Apple entrar de vez nesse mercado pra aumentar a concorrência. Parece que é esta a ideia com a aquisição da Beats.

Advertisements

Pianista

CURITIBA (the winter is coming) Apenas três meses depois de iniciar as aulas de música, Isabela encarou sua primeira apresentação aberta. A ansiedade estava matando a baixinha, mas quando chegou a hora dela foi lá e mandou bem. O mané que filmou nem para segurar o telefone na posição certa.

 

The Best

CURITIBA (eu vou!) Hoje recebi a notícia de que a melhor banda de Rock em atividade vem pro Brasil em Outubro. É, o trio Canadense do Rush vai fazer dois shows no Brasil, pra variar em SP e RJ. O show deles que eu vi em 2002 foi um dos melhores e esse não deverá ser diferente.

Pra matar um pouco a ansiedade, Fly by Night!

Mapa Interativo da Música

CURITIBA (abafadão) De um tempo pra cá tenho me interessado mais por música em geral. Sempre gostei de ouvir música mas agora estou trabalhando com música. Não, não sei tocar nenhum instrumento e também não tenho banda. Gostaria, mas não tenho. Tenho somente a  guitarra do Guitar Hero pro PS3, mas isso não conta muito, conta?

O que eu tenho é uma aluno de doutorado trabalhando na classificação automática de gêneros musicais. A idéia é que no fim a gente tenha um sistema que diga qual é o gênero da música que você está ouvido.  Não é fácil, mas é divertido.

Pra mostrar a complexidade dos gêneros, veja esse mapa que publiquei no blog tempos atrás. Agora a coisa ficou mais divertida, o cidadão fez uma versão interativa. Parece um Google Earth da música. Você digita o nome de um artista e vê onde ele se situa no mapa.

O Mapa da Música

CURITIBA (todas as tribos) Todo aluno de doutorado uma hora ou outra fica de saco cheio e resolve fazer algo divertido. Pra um cara que faz doutorado em computação, o divertido as vezes é ficar na frente do computador. Fazer o que? Esse cara fez uma coisa interessante. Ele pegou a base do Last.fm e fez um mapa de relacionamento de músicas.

Como a base do Last.fm mostra estilos similares, ele colocou tudo isso num grafo e plotou em diferentes cores. Cada cor representa um estilo. Por exemplo, vermelho é Rock, Cinza escuro é Metal. Para ver todos os estilos, visite o site do camarada. Para ver em alta resolução, clique aqui

Mapa